i2S - Insurance Knowledge

03. Soluções

03.2 Princípios Gerais

A globalização da economia e a mudança permanente das oportunidades de negócio requerem sistemas de informação articulados (interfuncionais e interorganizacionais) e em permanente evolução.

Nas empresas da área financeira, nomeadamente da actividade seguradora, paradigmas da influência estratégica dos sistemas de informação no sucesso do negócio, estas características são factores críticos de sucesso.

A fusão de companhias, a diversificação dos canais de comercialização (banca/seguros, por exemplo), a livre prestação de serviços no mercado europeu, a liberalização e desregulamentação da actividade seguradora, são exemplos evidentes da globalização e da mudança permanente.

Neste contexto, a concepção da solução i2S assentou em dois princípios fundamentais – integração e flexibilidade – tendo como objectivo fundamental constituir uma solução total para o mercado global de seguros:

 

Integração

Neste princípio considera-se que o sistema de informação deve contemplar e relacionar não só as diferentes áreas funcionais internas à organização, mas também as externas (outros intervenientes na lógica dos processos do negócio e da perspectiva do conceito de Cliente).


 

Flexibilidade

A flexibilidade de um sistema de informação determina a agilidade duma companhia de seguros (ou outro interveniente da actividade seguradora) para se adaptar e responder em tempo oportuno ás solicitações do mercado, em permanente mudança, e evolução das próprias tecnologias de informação.

A concepção da aplicação i2S assenta no conceito de CASE para seguros. Adopta os princípios da facilidade de especificação e manutenção de um CASE convencional (apenas destinado a informáticos) alargando assim sua utilização aos especialistas do negócio.


 


 

Através de uma linguagem de domínio (técnico/actuarial) facilmente apreendida pelos especialistas de seguros, adquire-se uma grande autonomia para se possa especificar directamente no sistema as regras do negócio e realizar os testes correspondentes (definição de novos produtos, regras de cálculo de tarifas, regras de cálculo de comissões, regras de tratamento de sinistros, regras de tratamento de resseguro, regras de imputação contabilística, etc.).